CADASTRE-SE

Cadastre-se!

Assine nossos informativos cadastrando o seu e-mail.

Parte 6 – Câncer: Quais são os Pilares para construir sua estratégia em direção à CURA: 6) Como o câncer se desenvolve?

6) Como o câncer se desenvolve

O câncer não é transmitido geneticamente, mas sim pela transferência de hábitos de vida. Apenas de 5 a 10% de todos os cânceres são resultantes de mutações genéticas. O restante é adquirido através do nosso estilo de vida e exposição ao ambiente.
Foi feita uma pesquisa na Dinamarca e constatou-se que pais biológicos de crianças adotadas que morreram de câncer antes dos 50 anos, não tem NENHUMA influência sobre o risco de a pessoa (adotada) desenvolver um câncer.
Porém a morte de um pai adotivo (que não transmite nenhum gene, mas transfere os hábitos de vida), multiplica por 5 o risco de a pessoa adotada morrer de câncer também.
É o meio ambiente que desempenha o principal papel entre as causas dos cânceres comuns.
As estatísticas são uma informação, não uma condenação.

Fatores que contribuem para os que nas estatísticas vivem muito mais tempo:
Estar bem informado sobre a doença, cuidarem do corpo e da mente, receberem a alimentação de que têm necessidade para estar em melhor condição de saúde, então as funções vitais do corpo vão se mobilizar para melhor lutar contra o câncer. Eles viverão melhor e por mais tempo.

Estudo do Dr. Osnish:
Grupo de homens com câncer de próstata que não quiseram se tratar com cirurgia, nem quimio, nem radio. Tiveram em média o PSA baixando 4% e regressão dos tumores após 1 ano. E seu sangue era 7 vezes mais capaz de inibir o crescimento das células cancerosas do que o sangue do outro grupo de homens que não fizeram nada, só esperaram o tempo passar, e tiveram em média 6% de aumento do PSA, e aceleração da doença.

O que foi feito pelo primeiro grupo:
-seguiram um regime vegetariano, complementado com suplementos antioxidantes de vitamina E e C, selênio e um grama de ômega 3 por dia, exercícios físicos (30 mins. de caminhada 6 x por semana), práticas de gestão do stresse (yoga, meditação, visualização mental, relaxamento progressivo) e a participação durante uma hora por semana em um grupo de apoio com outros pacientes do mesmo programa.
O programa estimulou os genes que tinham efeito preventivo contra a doença e inibiu os que favoreciam o desenvolvimento da doença. Um dos pacientes diagnosticado com câncer de próstata 6 anos antes, fez exames, e não havia mais sinal da doença.
Outra pesquisa mostrou que mulheres que portavam os genes BRCA (quase 80% das mulheres portadoras desses genes sofrem o risco de desenvolver câncer de mama), as que se alimentavam de até 27 frutas, legumes e verduras diferentes por semana (a variedade parece ser muito importante por aqui) viram seu risco diminuir em 73%.

O que os cientistas acreditam?
Que todos temos células cancerígenas em nossos corpos. As células de câncer são criadas quando células normais iniciam uma replicação irregular. Ao invés da replicação resultar em outra célula normal, a nova célula criada, é diferente. As vezes essa anomalidade resulta em que essa célula escapa dos mecanismos normais, e pode acabar crescendo e se replicando em um tumor problemático.
Células que estão replicando rapidamente, necessitam de um fluxo de sangue direto para alimentar seu rápido crescimento. O processo de criar novos vasos sanguíneos para o propósito de alimentar o câncer é chamado de angiogênese.

Quando as células cancerosas podem perder sua virulência:
– Primeiro, quando o sistema imunológico se mobiliza contra elas. Leia a Parte 5: Superimunidade
– Segundo, quando o corpo se recusa a produzir a inflamação sem a qual elas não podem nem crescer nem invadir outros territórios;
– Terceiro, quando os vasos sanguíneos se recusam a se multiplicar e a assegurar o abastecimento indispensável à sua progressão.
Esse mecanismos podem ser reforçados a fim de evitar que a doença apareça.

As sentinelas do corpo: as poderosas células imunológicas
As devastações das células S180
As células sarcoma 180 são as mais virulentas células cancerosas. Elas invadem os tecidos circundantes e destroem tudo que encontram pelo caminho.
Células NK (natural killer) conseguiram destruir as S180. Os ratinhos resistentes tinham a capacidade de montar uma defesa poderosa graças ao seu sistema imunológico, inclusive depois da instalação completa de um câncer.
As células NK são capazes de disparar um veneno que penetra nas células cancerosas dando a ordem de se suicidar (apoptose), e elas implodem. E seus restos são digeridos pelos macrófagos, os lixeiros do sistema imunológico que são encontrados sempre no rastro das NK.
Constou-se que as células de câncer só vão crescer dentro de um indivíduo cujas defesas imunológicas estejam enfraquecidas. Pode ser primariamente que a falta de defesas que permite que as células de câncer então adormecidas se tornem tumores agressivos.
A nova abordagem não se trata de erradicar os tumores tendo as células de câncer em si como alvo, mas sim, estabilizar os tumores durante longos períodos ao fortalecer e mobilizar as defesas naturais.
Os glóbulos brancos lutam melhor se forem tratados com respeito (se tiverem bem alimentados e protegidos das toxinas), e se seu comandante mantiver a cabeça fria (se lidar bem com suas emoções e agir com serenidade).
Eles lutam melhor quando nossa alimentação é sadia, nosso meio ambiente é limpo, nossa atividade física emprega o corpo inteiro.
Eles são sensíveis as nossas emoções, reagindo positivamente aos estados caracterizados por uma sensação de bem-estar e pelo sentimento de que estamos ligados àqueles que nos cercam.

O Câncer precisa produzir inflamação para sustentar seu crescimento
PDGs – fator de crescimento derivado de plaquetas – substância química liberada pelas plaquetas sanguíneas que alerta as células brancas do sistema imunológico, que há uma lesão.
As células brancas vão liberar substâncias, como as citocinas, quimiocinas, etc. que vão orquestrar o processo de reparação. Primeiro dilatando os vasos adjacentes, tornando os tecidos vizinhos permeáveis para que as células imunológicas possam penetrá-los e perseguir os intrusos em qualquer lugar onde tenham se instalado. E finalmente provocam a multiplicação das células do tecido avariado para que ele reconstrua o pedaço que falta e fabrique localmente pequenos vasos sanguíneos de forma a permitir a chegada de oxigênio e nutrientes ao local da construção.
O câncer se serve precisamente de um desses mecanismos de reparação para invadir o organismo e levá-lo à morte. Essa é a dupla face da inflamação: prevista para garantir a formação de novos tecidos para a cura, ela pode mudar de direção e alimentar o crescimento canceroso.
As células de câncer precisam produzir inflamação para sustentar seu crescimento. Graças a inflamação, elas vão se infiltrar nos tecidos vizinhos e penetrar no fluxo sanguíneo para formar colônias a distância: as metástases.
O excesso das substâncias acarreta nos tecidos contíguos o bloqueio de um processo natural que se chama apoptose, ou seja, o suicídio celular geneticamente programado para impedir a proliferação anárquica dos tecidos. As células cancerosas se vêem assim protegidas da morte celular, e o tumor aumenta pouco a pouco.
Através da inflamação, os tumores vão provocar um outro efeito grave: eles vão desarmar as células imunológicas presentes nas proximidades, desorientando os glóbulos brancos vizinhos. Os glóbulos brancos e as células NK são então neutralizados e nem sequer continuam tentando lutar contra o tumor que prospera e aumenta.
Quanto mais o tumor cresce, mais ele alimenta a inflamação e mais a inflamação alimenta o crescimento do tumor.

EXAME IMPORTANTE A SER FEITO: (para detectar o nível de inflamação no nosso organismo)
Proteína C-reativa: ideal < 10mg/l
Albumina : ideal > 35 g/l

O cavaleiro negro do câncer:
Uma citocina pró-inflamatória chamada NF-kappaB.
Quando ela é bloqueada, as células cancerosas tornam-se mortais e impedidas de criar metástases.
Moléculas qualificadas para inibir o NF-kappaB:
Catequinas presentes no chá-verde e resveratrol presentes no vinho tinto. E muitos outros relatados no Artigo:
Parte 5) Superimunidade e Alimentos Anti-câncer

Fator que faz explodir a produção de substâncias inflamatórias:
Sentimento de impotência, um desespero que não cede, secreta noradrenalina, cortisol e prepara o corpo para a possibilidade de uma ferida, portanto, estimulam os fatores de inflamação necessárias a reparar os tecidos. Estes últimos são também o adubo dos tumores cancerosos, quer sejam declarados, quer latentes.

O que diminui a Inflamação?
Alcalinizar nosso corpo, através da adoção de uma alimentação baseada em vegetais, e sem produtos de origem animal e seus derivados. Cortar o consumo de açúcar. Outras sugestões, no Artigos anteriores.

O câncer se nutre de açúcar
Quando ingerimos açúcar ou farinhas brancas, que fazem subir rapidamente a taxa de glicose no sangue (alto índice glicêmico), nosso corpo libera imediatamente uma dose de insulina para permitir que a glicose penetre nas células. A secreção de insulina é acompanhada da liberação de uma outra molécula, chamada IGF, cuja característica é estimular o crescimento das células. Em suma, o açúcar nutre e faz os tecidos crescerem rapidamente. Paralelamente, a insulina e o IGF ainda aumentam os fatores de inflamação que agem como adubo aos tumores.
Os picos de insulina e a secreção de IGF estimulam diretamente não apenas o crescimento das células cancerosas, mas também sua capacidade de invadir os tecidos vizinhos.
• Nota: Importante evitar picos de insulina no sangue, e não só o açúcar e farinha branca é responsável por isso, mas também:
Alimentos industrializados (quase todos tem farinha, ou glúten, ou amido, ou açúcar, ou pior, xarope de milho , que tem glicose e frutose), mel. (Consumir mel, apenas se for orgânico, e com até 6 meses da data da extração. Após esse tempo, ele concentra um alto nível de fungos), e se for consumido, em pouca quantidade, pois ele possui alto índice glicêmico.

 

Lú
Post Author
Autora do Encontro Essencial. Espaço de Consciência em Alimentação, estilo de vida, bem-estar. Holistic Health Coach. Certified Nutrition Coach by David Wolfe Nutrition Consult in plant-based food. Consultoria em Alimentação Consciente Nutricionista de Gaia

Comentários no Facebook

Siga-nos!

Luciane Rodrigues - Alimentação Consciente - Espaço de Consciência em Alimentação, Estilo de Vida, health and life coaching, consultoria em alimentação plant based.

Join to Instagram